De uns tempos pra cá tenho observado muito a relação das pessoas com a comida. Um dia desses deparei com um post no facebook que tinha a foto de um pão, e os comentários diziam algo como “só de olhar para este pão, minha boca enche d’água, tem mais de um mês que eu não posso nem chegar perto” ou ainda “maledeto carbo” e por último, “eu como o pão de manhã e mais nada o resto do dia, mas não deixo de comê-lo!”. Por outro lado, em outra ocasião escutei “claro que esta bolacha faz bem à saúde, não tem gosto de nada!” e “é bem ruinzinha, mas eu como porque tem praticamente nada de calorias“. E por último, as pessoas chegam no consultório e dizem “o meu problema é que eu gosto de comer“.

branca de neve

Minha gente, não é nada disso!! Gostar de comer não é problema… é solução!

Comer é mesmo um prazer e eu acho muita ingenuidade por parte de qualquer pessoa pensar que alguém vai comer apenas para se nutrir – ninguém come nutrientes, nós comemos comida! E só nos nutrir, sem prazer, é um cenário muito hipotético e pouco provável de ser mantido a longo prazo.

Por que um alimento ou produto saudável pre-ci-sa ser desagradável? Ou ainda, porque um alimento prazeroso é logo taxado como não saudável? Será que não dá para unir as duas coisas?

Comer com prazer é importante, e na verdade, minha opinião é que é muita incoerência não uní-las! Alimentar-nos é um dos únicos (se não O único) ato que repetimos diariamente, do dia que nascemos até o dia que morremos. E se este ato não for prazeroso… Houston, we have a problem.

Todos os malefícios e benefícios dos alimentos precisam de um contexto e estilo de vida que os potencialize. Uma única refeição saudável não faz uma pessoa mais saudável, da mesma forma que um único _______ (complete a lacuna com algo que você considera não saudável) não faz uma pessoa menos saudável.

bem e mal

Eu não acredito que aquela pessoa do facebook não vai nunca mais comer um pãozinho, simplesmente pelo fato de sabermos que isto não é verdade! Será que não seria um processo menos doloroso para ela se ficasse claro que o pãozinho pode e deve sim estar presente em sua alimentação, mas de forma balanceada e dividindo o espaço com outros tantos alimentos saudáveis que temos?

Eu luto para que as pessoas entendam que não existe alimento bom e ruim, ou que engorda ou emagrece. Se a nossa relação com os alimentos for saudável, sem demonizá-los ou supervalorizá-los, a chance da alimentação ser saudável e duradoura, é muito maior!

amor pela comida

Se um dos grandes prazeres da vida é comer, porque insistimos tanto em fazer com que não seja?

3 Comentários

  • Thayna

    Gostei muito do texto!

    • Thais

      Obrigada, Thayna! 🙂

Dúvida? Opinião? Sugestão? Deixe um comentário!