Já fiz postagens sobre isso no instagram (já segue? é @blognutrirbem) e não me canso de falar para meus pacientes: parem de comer peito de peru todos os dias! É normalmente uma daquelas informações surpresa para as pessoas, que vai contra o que elas sempre ouviram no que diz respeito à dieta / alimentação saudável. Então, eis aqui meus motivos para tirar o peito de peru da rotina: 1- não é uma fonte de proteínas! Para ser uma fonte de proteínas o alimento precisa chegar em aproximadamente 30g de proteínas por porção. Então vamos aos cálculos: Para consumir 30g de proteínas em peito de peru, seria necessário consumir 165g, o equivalente a 11 fatias de peito de peru! Mas será que vale a pena consumir 11 fatias de peito de peru? 2 - muito sódio! As embalagens de peito de peru consideram 4 fatias como 1 porção, e nesta conta há aproximadamente 20% do sódio ...

Continuar lendo...

Quando as pessoas descobrem que eu sou nutricionista, uma das primeiras perguntas que eu escuto é: "quantas calorias tem ________ (complete a lacuna)", ou ainda "é verdade que __________ tem menos calorias do que ___________ (complete também estas lacunas)?". São questionamentos comuns e frequentes tanto dentro quanto fora do consultório, e a minha resposta é sempre a mesma: o valor calórico não é tão importante assim! É importante para o nutricionista, que vai calcular seu consumo alimentar e ajustá-lo ao seu metabolismo e objetivos nutricionais. Mas para as pessoas, não é vantajoso se prender ao número de calorias para basear suas escolhas alimentares. Sei que nem sempre é fácil desapegar das calorias, então eu listei motivos para não precisar mais se preocupar com o valor calórico dos alimentos e não contar calorias em  2015 - nem nunca mais!! #1 valor calórico não é tudo Tomo como exemplo o que já falei neste post (Passe longe dos refrigerantes ...

Continuar lendo...

2015 já começou e essa época é marcada pelas pessoas super motivadas a adotar as resoluções de ano novo às quais se propuseram. Acho ótimo podermos usar esta motivação para transformar essas resoluções em novos hábitos saudáveis para o ano que vem por aí. Quem passou em consulta comigo nos últimos 2 meses provavelmente me ouviu falar sobre um livro que estava lendo, "O Poder do Hábito”, do Charles Duhigg. O Poder do Hábito, de Charles Duhigg - Editora Objetiva Eu gostei muito do livro, indiquei para várias pessoas, e me fez pensar bastante em o quanto os hábitos são importantes no nosso dia a dia. "Os hábitos surgem porque o cérebro está sempre procurando maneiras de poupar esforços. Os hábitos permitem que nossas mentes desacelerem com mais frequência, e nos permitem parar de pensar constantemente em comportamentos básicos, como andar e escolher o que comer" - trecho do livro Isso significa que os ...

Continuar lendo...

Hoje oficialmente termina meu ano profissional, e na mesma medida começam as comemorações e preparo para 2015. E eu não poderia deixar da agradecer todas as pessoas que fizeram deste 2014 um grande ano de crescimento, amadurecimento e muito trabalho! Boas Festas E até 2015!

Continuar lendo...

Há tempos estou prometendo este post para algumas pessoas e finalmente, chegou a hora dele :) Ainda tem muita gente que usa o refrigerante zero como substituto ao refrigerante comum no intuito de reduzir as calorias consumidas no dia, e então, teoricamente, auxiliar na perda de peso. Então vamos ao comparativo:  (Obs: apenas para exemplificação, aqui serão usados a Coca Cola e Guaraná Antártica, mas no geral todas os refrigerantes ou bebidas gaseificadas zero ou light seguem a mesma linha) Neste contexto, a substituição seria justa - aqui tem um post que fala um pouco mais sobre porque evitar as bebidas açucaradas. Mas o primeiro ponto, é que, como aqui as calorias não são importantes, e sim os nutrientes. Então, vamos à comparação clássica do valor nutricional dos refrigerantes zero e o temido suco de laranja: Apesar de o suco de laranja apresentar valor calórico e os refrigerantes zero não, analise bem a oferta ...

Continuar lendo...

Além das castanhas, a lentilha é também um alimento bastante consumido nesta época de festas, mas são tantos benefícios que deveríamos aproveitá-la mais ao longo do ano. As lentilhas são do grupo das leguminosas, o mesmo do feijão, caracterizados por serem grandes fontes de fibras e proteínas vegetais. O perfil nutricional da lentilha é bastante interessante, veja: - Carboidratos complexos: a grande quantidade de fibras das lentilhas caracteriza os carboidratos presentes como complexos, o que significa que liberam energia de forma lenta para o organismo, e por isso, promovem sensação de saciedade por tempo prolongado. Além disso, 25% das fibras da lentilha são solúveis, que ajudam a diminuir o colesterol e controlar a glicemia. As fibras são também importantes para um bom funcionamento intestinal - Proteínas: a lentilha é rica em proteínas vegetais, e especialmente fonte do aminoácido triptofano. O triptofano é um aminoácido essencial, o que quer dizer que nosso corpo não produz, ...

Continuar lendo...

Como alguns viram no instagram (@blognutrirbem), na semana passada comecei a entregar a lembrancinha de final de ano aos meus pacientes. Pensei muito até resolver o que queria dar, e no fim escolhi por lindos tubinhos recheados de oleaginosas. Muitos dos meus pacientes habitualmente consomem as castanhas em alguma refeição, mas sei que ainda tem gente que tem medo delas por conta de seu valor calórico e teor de gorduras. Mas como aqui não contamos calorias, e sim nutrientes, este post vai dizer porque eu faço tanta questão de incluir as oleaginosas nos planejamentos alimentares das pessoas: Quem são elas?  Nozes, castanhas, amendoim, pistache, macadâmia, avelã, amêndoas, pecãn... Todas estas sementes são chamadas como oleaginosas devido a seu perfil semelhante de nutrientes. Benefícios: # Composição nutricional - macronutrientes: excelentes fontes de gorduras insaturadas – as gorduras que conferem benefícios para a saúde cardiovascular - e proteínas vegetais completas. Tem pouca quantidade de carboidratos, e os ...

Continuar lendo...

Eu confesso que desde que voltei da minha viagem à França tenho estado muito apaixonada pela manteiga. Em minha casa nunca tivemos o hábito de usá-la então nunca foi um produto muito frequente na rotina... mas ela tem estado cada vez mais presente nas minhas recomendações e aventuras na cozinha. Sim, manteiga, e não margarina. Eis aqui o duelo: Manteiga:  por definição, trata-se de um produto derivado do leite batido, até que se transforme em uma emulsão de água e gordura. É líquida em temperatura ambiente, sólida quando refrigerada. Por ser derivada do leite, a manteiga é rica em gordura saturada, tradicionalmente conhecida como a gordura ruim e que, quando consumida em excesso, pode aumentar o colesterol. Margarina: é o termo genérico usado para identificar uma emulsão de gorduras alimentares de origem vegetal em água. Surgiu em 1860, quando o imperador Napoleão III da França ofereceu uma recompensa para quem conseguisse encontrar um substituto ...

Continuar lendo...

De uns tempos pra cá tenho observado muito a relação das pessoas com a comida. Um dia desses deparei com um post no facebook que tinha a foto de um pão, e os comentários diziam algo como "só de olhar para este pão, minha boca enche d'água, tem mais de um mês que eu não posso nem chegar perto" ou ainda "maledeto carbo" e por último, "eu como o pão de manhã e mais nada o resto do dia, mas não deixo de comê-lo!". Por outro lado, em outra ocasião escutei "claro que esta bolacha faz bem à saúde, não tem gosto de nada!" e "é bem ruinzinha, mas eu como porque tem praticamente nada de calorias". E por último, as pessoas chegam no consultório e dizem "o meu problema é que eu gosto de comer". Minha gente, não é nada disso!! Gostar de comer não é problema... é solução! Comer é mesmo um prazer e ...

Continuar lendo...

Nesta semana o Ministério da Saúde publicou a versão atualizada do Guia Alimentar para a População Brasileira. Este é um documento oficial que tem por objetivo a promoção de saúde e boa alimentação, e aborda os princípios e recomendações de alimentação adequada e saudável à toda a população. Anterior a este, a ultima publicação tinha sido em 2006, e focava bastante em grupos alimentares e porções recomendadas. O foco agora não é mais tanto o combate a desnutrição (que vem em queda já há algum tempo), mas sim a prevenção de doenças crônicas como obesidade, diabetes e doenças cardíacas (crescentes em todo o mundo). A versão 2014 é moderna e trata da alimentação com um olhar bastante interessante, vai muito de encontro com o que eu acredito e tenho usado na minha prática clínica - é nutrição e alimentação saudável aplicada à mudanças de comportamento para atingir objetivos. Eu adorei! ♥ O Guia ...

Continuar lendo...