Eu confesso que desde que voltei da minha viagem à França tenho estado muito apaixonada pela manteiga. Em minha casa nunca tivemos o hábito de usá-la então nunca foi um produto muito frequente na rotina... mas ela tem estado cada vez mais presente nas minhas recomendações e aventuras na cozinha. Sim, manteiga, e não margarina. Eis aqui o duelo: Manteiga:  por definição, trata-se de um produto derivado do leite batido, até que se transforme em uma emulsão de água e gordura. É líquida em temperatura ambiente, sólida quando refrigerada. Por ser derivada do leite, a manteiga é rica em gordura saturada, tradicionalmente conhecida como a gordura ruim e que, quando consumida em excesso, pode aumentar o colesterol. Margarina: é o termo genérico usado para identificar uma emulsão de gorduras alimentares de origem vegetal em água. Surgiu em 1860, quando o imperador Napoleão III da França ofereceu uma recompensa para quem conseguisse encontrar um substituto ...

Continuar lendo...

De uns tempos pra cá tenho observado muito a relação das pessoas com a comida. Um dia desses deparei com um post no facebook que tinha a foto de um pão, e os comentários diziam algo como "só de olhar para este pão, minha boca enche d'água, tem mais de um mês que eu não posso nem chegar perto" ou ainda "maledeto carbo" e por último, "eu como o pão de manhã e mais nada o resto do dia, mas não deixo de comê-lo!". Por outro lado, em outra ocasião escutei "claro que esta bolacha faz bem à saúde, não tem gosto de nada!" e "é bem ruinzinha, mas eu como porque tem praticamente nada de calorias". E por último, as pessoas chegam no consultório e dizem "o meu problema é que eu gosto de comer". Minha gente, não é nada disso!! Gostar de comer não é problema... é solução! Comer é mesmo um prazer e ...

Continuar lendo...

Nesta semana o Ministério da Saúde publicou a versão atualizada do Guia Alimentar para a População Brasileira. Este é um documento oficial que tem por objetivo a promoção de saúde e boa alimentação, e aborda os princípios e recomendações de alimentação adequada e saudável à toda a população. Anterior a este, a ultima publicação tinha sido em 2006, e focava bastante em grupos alimentares e porções recomendadas. O foco agora não é mais tanto o combate a desnutrição (que vem em queda já há algum tempo), mas sim a prevenção de doenças crônicas como obesidade, diabetes e doenças cardíacas (crescentes em todo o mundo). A versão 2014 é moderna e trata da alimentação com um olhar bastante interessante, vai muito de encontro com o que eu acredito e tenho usado na minha prática clínica - é nutrição e alimentação saudável aplicada à mudanças de comportamento para atingir objetivos. Eu adorei! ♥ O Guia ...

Continuar lendo...

Além de um bom molho caseiro (veja opções neste link), outro ponto importante para que a salada saudável do dia a dia seja sempre variada e apetitosa, é apostar na variedade em sua composição, sabores e texturas: o clássico alface-tomate-cebola é ótimo, mas não precisa (e nem deve) ser a única opção do cardápio de casa para as saladas. Dica 01 - folhas: A sugestão aqui sair do trivial alface/rúcula e inovar nas folhas: acelga, chicória, escarola, couve, folhas de beterraba, alface roxa, agrião, almeirão, espinafre, repolho roxo e branco, endívias... Sei que é hábito de muitas pessoas consumir algumas destas folhas na forma cozida/refogada, mas consumi-las cruas pode preservar muitos nutrientes e ajuda a variar a cara da salada. Outra boa ideia aqui, é optar pelas folhas baby, ou ainda inovar com brotos e flores comestíveis. Dica 02 - legumes: Além das folhas, uma salada colorida pede boa variedade de legumes. Experimente colocar na sua salada ...

Continuar lendo...

Com a chegada do calorzinho, a salada já começa a ficar mais apetitosa para muita gente. É ótimo frequentar os restaurantes por quilo e reparar que o prato das pessoas começa a ficar mais colorido nesta época.. rsrs. Mas é claro que tem alguns ingredientes que deixam sua salada não tão saudável assim (lembram deste post? Inocente saladinha... só que não!) Então começa hoje o Guia Nutrir Bem para uma salada saudável! O primeiro tópico a ser abordado não poderia ser outro se não os molhos de saladas industrializados. Isso porque, a grande maioria deles é riquíssimo em sódio e gorduras - e este pequeno detalhe pode mesmo fazer da sua salada não tão saudável quanto você gostaria. Pois bem, além da dose extra de calorias e abusivos teores de sódio, os molhos industrializados para saladas normalmente contém também outros aditivos não tão saudáveis, como os corantes, conservantes e aromatizantes, que podem atrapalhar o ...

Continuar lendo...

Na minha temporada na França, além da facilidade de encontrar alimentos saudáveis e do apoio do governo à alimentação saudável (que eu contei neste post), pude notar e vivenciar um fenômeno já bastante conhecido e descrito na literatura: o paradoxo francês. Trata-se da clara discrepância que existe entre o consumo alimentar dos franceses  - que tem muitos fatores que poderiam favorecer o sobrepeso e as doenças cardiovasculares -  e o número real de pessoas acima do peso andando pela rua! A taxa de sobrepeso francesa gira em torno dos 11%, enquanto que o Brasil já chegou aos 50% e os Estados Unidos já passaram dos 60%. Fora isso, os franceses têm a menor prevalência de doenças cardiovasculares de toda a Europa, e o número de mortes causadas por este motivo lá é a metade da encontrada nos Estados Unidos. A culinária francesa #gordura:  Talvez não seja novidade para muita gente, mas os franceses A-MAM manteiga. ...

Continuar lendo...

Sair da rotina é sempre bom, voltar à ela nem sempre é fácil... mas é preciso! E cá estou eu, de volta das minhas mini-férias e, finalmente, de volta às atividades :) Estou pensando neste post desde meus primeiros dias na França, quando inevitavelmente comecei a olhar de forma crítica os hábitos alimentares franceses. Apesar da manteiga ser praticamente a base da culinária francesa, é admirável ver o quanto eles se preocupam em se alimentar de forma saudável. Todos os restaurantes oferecem legumes e/ou saladas, e mesmo os fast foods têm esta opção como acompanhamento. Algumas das minhas refeições Foi também bem fácil encontrar alimentos industrializados de boa qualidade: sucos sem adição de açúcar, barrinhas de cereais compostas 100% de frutas e sementes oleaginosas, refeições prontas sem nada de conservantes ou sódio, granolas riquíssimas em fibras, e em todos os mercados uma grande área reservada para oferecer produtos orgânicos. Suco natural puro, sem açúcar; ...

Continuar lendo...

Em setembro normalmente começa a corrida contra o tempo para o tão sonhado #projetoverãosemcanga. Bem, meus pacientes e quem me acompanha há mais tempo sabe que eu sou adepta ao movimento #projetoverãopravidatoda, apoiando os argumentos de que as mudanças de estilo de vida devem ser duradouras e não depender apenas do biquini do final do ano. Mas de uma forma ou de outra, sei que tem muita gente que se motiva a melhorar a alimentação nesta fase, e por causa dela acaba mesmo aderindo às orientações com uma visão mais a longo prazo. Para me preparar para esta avalanche pré-verão, este post é especialmente para dizer que estarei afastada nas próximas 2 semanas por motivo de mini férias e atualização profissional... Isso mesmo, lá vou eu escutar as batidas do meu coração, recarregar as baterias e modernizar o HD interno.. é só o que digo, aguardem, volto com novidades! :)

Continuar lendo...

No último final de semana, postei no insta (@blognutrirbem) uma foto do meu mais novo hobby: minha composteira! Compostagem Por definição, "compostagem é o conjunto de técnicas aplicadas para estimular a decomposição de resíduos orgânicos por organismos heterótrofos aeróbios, a fim de se obter, de forma rápida, um material rico em substâncias húmicas, nutrientes e minerais". Ou seja, é ter uma pequena criação de minhocas, e alimentá-las com cascas de frutas, sobras de verduras e legumes etc, para que elas produzam adubo para suas plantinhas! Não é o máximo?! Projeto Composta SP É um projeto da prefeitura de São Paulo, que tem por objetivo conscientizar e incentivar a população a usar seus resíduos orgânicos e fazer a compostagem doméstica. Dentre os inscritos, 2 mil famílias foram selecionadas a participar voluntariamente do projeto, e receberam um kit de compostagem e plantio. Um dos objetivos do projeto é colher informações sobre os hábitos de compostagem das ...

Continuar lendo...

Já foi estrela de muitas capas de revista, e ainda hoje existem controvérsias a respeito do seu consumo regular. Eu, particularmente, sou fã, e considero o ovo um alimento de altíssimo valor nutricional. (imagem da internet) 6 ótimos motivos para consumir: # Valor nutricional Baixo valor calórico, fácil digestão, o ovo é rico em proteínas de alto valor biológico, especialmente na clara, que também é rica em sódio e potássio. A gema é principalmente composta por gorduras, em sua maioria insaturadas (as gorduras boas) e colesterol. Dentre os micronutrientes, a gema tem grandes quantidades de fósforo, cálcio, ferro e vitaminas A, E, K e principalmente B12. Ao contrário de muitos modismos por aí, o interessante é consumir o ovo inteiro e não apenas a clara!! :) # Mas e o colesterol? O ovo contém cerca de 220mg de colesterol, perto da quantidade máxima recomendada por dia, de 300mg. No entanto, estudos recentes não têm mostrado associação ...

Continuar lendo...