Bebês e crianças pequenas não devem ser expostas ao consumo de açúcar. Esta é uma das minhas maiores convicções, e uma das poucas ideias certas que eu tenho para quando tiver filhos. E é mais um ponto essencial a se considerar no tão importante período de introdução alimentar. Não existe necessidade de dar açúcar e/ou alimentos açucarados para crianças, especialmente as menores de dois anos. E por que não?

 Primeiro, porque nenhum tipo de alimento açucarado agrega valor nutricional à saúde da criança. E por alimento açucarado entenda, desde a simples adição de açúcar sobre uma fruta, até o uso de produtos industrializados como sorvetes, achocolatados líquidos e em pó, iogurtes e petit suisses, bolachas, refrigerantes, chocolates etc.

Em segundo lugar, porque os primeiros 1000 dias de vida de uma criança são os mais importantes para a formação de sua saúde física e mental. Estes 1000 dias vão desde o primeiro dia da gestação até o 2º ano completo de vida extra-uterina. Este período é fundamental para a prevenção de problemas de saúde, desenvolvimento do sistema nervoso e imunológico, além de ser o período de maior estirão de crescimento. E adivinhe, é também fundamental para a formação de hábitos alimentares! Então, neste momento que a criança está conhecendo o mundo, precisa conhecer também o real sabor dos alimentos. Ela precisa saber que gosto tem a banana pura, o abacate puro, o suco de morango puro, para então se familiarizar com eles. Isto faz parte da formação de paladar e hábitos alimentares, e se desde pequena aprender que abacaxi se come sem açúcar, por exemplo, esta criança nunca terá problema em comer uma fatia de abacaxi, sem açúcar! Não há necessidade de expor uma criança ao açúcar adicionado, independentemente se nós, adultos, julgamos um alimento doce ou azedo. A criança não conhece!

 

Imagem da Internet

Outro ponto importante é que a natureza humana já tem uma pequena preferência ao sabor doce, o próprio leite materno é um pouco adocicado. Se oferecer um produto doce a um bebê, é claro que ele vai adorar. Como diz a querida Karine Durães, também nutricionista materno infantil, o paladar doce a criança já conhece e já gosta. Cabe aos adultos ensinar os outros sabores. Quanto mais tarde a criança conhecer os outros sabores, mais difícil será deles serem aceitos. E aí, instala-se o habito alimentar seletivo e inadequado da criança.

Quem me acompanha por aqui já sabe que eu acredito muito que o açúcar é viciante (veja aqui o post sobre isso). Tenho pena em pensar em crianças tão pequenas já propensas a entrar neste ciclo. E é claro que, com o costume de comer doces/açúcares desde tão pequenas, estas crianças estão mais predispostas ao sobrepeso/obesidade e comorbidades relacionadas na vida adulta, ou pior, ainda na infância.

Imagem da Internet

Já ouvi pessoas dizerem que era uma judiação não dar nenhum docinho para o bebe/criança pequena, que ele deveria conhecer as coisas boas da vida. Sinto muito por estas pessoas só conhecerem o açúcar como coisa boa da vida. E ainda assim, esta criança terá infinitas oportunidades durante sua vida de provar o tal doce. O ponto é que, adiando a introdução do açúcar, esta criança poderá escolher entre o doce e milhões de outros alimentos disponíveis, e se por acaso escolher pelo doce, conseguirá controlar muito bem a quantidade a ser consumida. Por outro lado, sei também que há pais que se preocupam em estar privando a criança do açúcar, de modo que elas estariam passando vontade. Fiquem tranquilos, a criança não sente falta daquilo que ela não conhece. O habito de comer doces é do adulto, e não da criança.

Em resumo, a responsabilidade sobre a alimentação da criança é dos pais, e cabe a eles formar o paladar de seus filhos. Não se esqueça que a criança vai comer aquilo que ela aprender a comer em casa.

E os maiores de 2 anos?

Para os maiores de 2 anos, acredito que a introdução de açúcar e produtos açucarados acontece de forma gradual e natural. É inevitável que aos poucos a criança conheça estes alimentos, mas se isto acontecer depois do segundo ano completo, será mais provável que estejam em quantidade e frequência adequadas.

Imagem da internet

E na verdade, eu acredito que moderação é a palavra. Com ela todos os alimentos, inclusive os açucarados, devem fazer parte de um estilo de vida saudável.

Por fim, é claro que um dia seu filho comerá um doce. Só não tem necessidade de antecipar esta data!

2 Comentários

  • Karina Pavarin

    Concordo plenamente. Sou obesa e nao quero o mesmo para as minhas filhas. Segui exatamente o que disse nesse post e hoje, com 5 anos, elas tem uma alimentação saudável, mesmo com um doce de vez em quando. Continuo nao liberando durante a semana e controlo muito aos finais de semana, festas e passeios ! Faço isso tb com frituras, por exemplo. E mesmo assim, uma delas ( são gêmeas ) gosta mais do doce do que a outra, mas sem nenhum problema de peso, ja esta com o colesterol alto ( de família ). Imagina se eu nao controlasse !

    • Thais

      Karina
      Obrigada pelo seu depoimento de mãe que vive na prática a teoria.
      Obrigada por mostrar que é possível!!
      Tenha certeza que você já fez e continua fazendo uma super diferença na vida adulta das suas meninas!
      Beijos!

Dúvida? Opinião? Sugestão? Deixe um comentário!