Na minha temporada na França, além da facilidade de encontrar alimentos saudáveis e do apoio do governo à alimentação saudável (que eu contei neste post), pude notar e vivenciar um fenômeno já bastante conhecido e descrito na literatura: o paradoxo francês.

jantar frances

Trata-se da clara discrepância que existe entre o consumo alimentar dos franceses  – que tem muitos fatores que poderiam favorecer o sobrepeso e as doenças cardiovasculares –  e o número real de pessoas acima do peso andando pela rua! A taxa de sobrepeso francesa gira em torno dos 11%, enquanto que o Brasil já chegou aos 50% e os Estados Unidos já passaram dos 60%. Fora isso, os franceses têm a menor prevalência de doenças cardiovasculares de toda a Europa, e o número de mortes causadas por este motivo lá é a metade da encontrada nos Estados Unidos.

A culinária francesa

cozinha francesa

#gordura: 

Talvez não seja novidade para muita gente, mas os franceses A-MAM manteiga. Engana-se quem pensa que o pão é só sujinho com manteiga ou que é uma colherzinha de chá para cozinhar. Eles amam muuito a manteiga! rs. E outro ingrediente que eu descobri ser in-dis-pen-sá-vel por eles é o crème fraîche – algo muito parecido com o nosso creme de leite fresco. Ambos são ricos em gordura saturada que teoricamente seria responsável por aumento nos níveis séricos de colesterol- atualmente existe muita controvérsia acerca deste ponto, especialmente sobre a manteiga, mas isso já é assunto para outro post…Fato é: o excessivo consumo de gordura, vinda da manteiga ou do creme fresco, é bastante elevado pelos franceses. E alto consumo de gordura facilita o acúmulo de gordura corporal, e por esta via pode também aumentar colesterol –  ponto para as doenças cardiovasculares

#queijos amarelos:

outra paixão nacional. Os queijos são servidos sempre como sobremesa para que os microorganismos naturalmente presentes nos queijos ajude na digestão da refeição. Novamente aqui a questão do alto teor de gordura, especialmente a saturada, e assim, aumento de peso e de colesterol – ponto para as doenças cardiovasculares

#pães:

claro que não é a toa que a França é conhecida pelas baguettes croissants… : ) Mas primeiro, eu queria deixar claro que os pães não são e nunca serão os vilões da alimentação saudável! O ponto aqui é que o consumo de pão pelos franceses pode ser exagerado, já que estão presentes na maioria das refeições, acompanhados de outras fontes de carboidratos, e quase sempre brancos. O consumo excessivo de carboidratos pode sim levar ao acúmulo de gordura, e consequentemente aumento de peso; o excesso de peso é um fator de risco bastante importante para as doenças cardiovasculares, portanto o consumo excessivo de pão, associado a outros fatores, pode sim marcar um ponto para as doenças cardiovasculares.

baguette francesa

#industrializados:

esta foi uma percepção que tive logo no início da temporada e também comentei neste post. Os franceses usam poucos industrializados, e como mencionei, se há industrializados, são de boa qualidade, sem adição de açúcares e outros aditivos alimentares. Tive a oportunidade de experimentar por lá uma marca de iogurte que também temos no Brasil, e foi surpreendente perceber o quanto o iogurte lá é bem menos doce do que a versão brasileira. De fato, os franceses gostam é de #comidadeverdade. Então, finalmente, ponto para a França.

#doces: 

muitos doces, muito bons, muito disponíveis. São vitrines e vitrines dedicadas à eles nas padarias. E são lindos! Os franceses têm hábito de consumir doces com bastante frequência. Assim como o excesso de carboidratos, o consumo abusivo de açúcares e doces acaba por facilitar o acúmulo de gordura corporal – ponto para as doenças cardiovasculares.

#temperos:

ervas frescas e secas, pimentas e frutas. Estes são os principais temperos da culinária francesa, tudo o que vem da terra, e não do saquinho ou pozinho ou tabletinho. Além dos benefícios nutricionais dos temperos naturais (e do sabor!!), esta escolha dos franceses minimiza o consumo dos aditivos alimentares, sódio e até gorduras dos temperos industrializados. Ponto para a França.

Hábitos de vida

frances fumando

#tabagismo:

é fácil perceber que o número de pessoas que fuma na França é maior do que atualmente vemos no Brasil. E este dado é real, atualmente cerca de 30% dos franceses fumam, enquanto que apenas 16% dos brasileiros. O fumo é um fator de risco para várias doenças, inclusive as do coração, portanto, ponto para as doenças cardiovasculares,

#bebida alcoólica: 

Os franceses também amam muito o vinho, e o consomem bastante. No entanto, alguns estudos têm mostrado que, apesar do consumo de álcool ser um fator de risco para as doenças cardiovasculares, o consumo regular de vinho parece exercer um efeito protetor à saúde do coração. Ao que tudo indica, o benefício do vinho vem dos antioxidantes da uva com a presença do próprio álcool. Outro fator que deve ajudar é que os franceses costumam tomar vinho junto com as refeições, e não sozinhos ou em jejum. Então este também parece ser um fator que protege os franceses das doenças cardíacas. Ponto para a França. 

Faço aqui a ressalva de que o vinho só exerce efeito protetor em pessoas que não tenham nenhum problema de saúde, e que tenham outros hábitos de vida que também colaborem com o bom quadro de saúde. Consulte seu médico e nutricionista para saber se o consumo de vinho é benéfico no seu caso.

#atividade física:

a atividade física regular é um fator importantíssimo para a saúde, qualidade de vida, e prevenção de qualquer doença. Apesar de serem considerados um povo sedentário, talvez este sedentarismo seja verídico quando se pensa em atividade física formal, mas o que eu pude perceber foi um povo bastante ativo – bem mais do que a rotina paulistana permite: o transporte público na França funciona muito bem, o que facilita na opção de deixar o carro em casa e fazer trechos a pé e/ou de bicicleta. Então, a atividade física do dia a dia provavelmente também colabora no cuidado do coração. Ponto para a França.

#refeições completas: 

os franceses sempre têm entrada, prato principal e sobremesa, o que muitas vezes colabora para que as refeições sejam completas. Nunca faltam vegetais, proteínas, grãos e frutas – e em boa variedade. Então apesar da alta quantidade de gorduras, no geral a composição das refeições é sempre bastante balanceada. Ponto para a França

#momento das refeições:

muitos estudos indicam que o fato dos franceses realmente apreciarem as refeições, comerem de forma bem devagar e investirem cerca de 1h por refeição, parece colaborar para a boa saúde deles. Consequentemente ao fato de comer devagar, o volume das refeições dos franceses é bastante pequeno. Ponto para a França.

paradoxo frances

De fato, a polêmica do paradoxo francês não tem uma conclusão sólida entre os cientistas – são muitos pontos para a França e muitos para as doenças cardiovasculares! Mas sob minha análise, tudo indica que mais do que o valor calórico e todo este medo que gira em torno do consumo de gorduras, os hábitos de vida saudáveis e refeições saudáveis – em sua composição e apreciação – são essenciais para determinar a boa saúde.

Os franceses me confirmaram que comida de verdade nutre mais, sacia mais, promove mais saúde e, de quebra, nos ajuda a comer menos 🙂

Bon appétit!

Não existem comentários ainda.

Dúvida? Opinião? Sugestão? Deixe um comentário!