Bebês

Introdução alimentar: 4 dúvidas comuns

Na semana passada falei um pouco no insta stories (@nutrirbem.thais) sobre introdução alimentar, respondendo à algumas dúvidas e angústias que algumas mães tinham me enviado. Fiz uma série de vídeos explicativos, mas como no stories os vídeos somem depois de 24h, compilei aqui algumas respostas que muitas mamães buscam:

Qual é o melhor método de introdução alimentar: BLW, papinhas, misto?

O melhor método de introdução alimentar é aquele que melhor funciona para sua família. É importante ter um acompanhamento profissional atualizado que possa sanar todas as dúvidas e orientar a família para que escolham juntos a melhor metodologia. O melhor método é aquele no qual os pais e cuidadores confiam, abraçam os benefícios e sentem-se bem sabendo que estão fazendo o melhor que podem pelo bebê. Neste post eu falei mais sobre os métodos de introdução alimentar.

Meu filho engasga e/ou tem ânsia quando coloca o alimento/papinha na boca

A primeira coisa é lembrar que até a introdução alimentar (IA) o bebê só conhece a textura líquida do leite que toma, então é natural e esperado que eles estranhem a textura de papinha ou dos alimentos na boca. É uma adaptação e uma nova descoberta, com o tempo eles ficam mais confortáveis com isso.

A segunda coisa é conseguirmos diferenciar engasgos/ânsia com o Gag Reflex, ou reflexo Gag. Este é um reflexo protetor que aparece quando um alimento (ou objeto) estava em vias de ser engolido, mas o bebê percebe que o pedaço estava maior do que o esperado, e precisa ser mastigado mais um pouquinho antes de engolir. O Gag é a forma que o bebê tem de trazer este alimento de volta à frente da boca. Nestes casos, os bebês fazem caretinhas similares a estas:

O gag não é motivo de preocupação. Por mais que pareça desconfortável para nós, os bebês não se incomodam, e quando conseguem trazer o alimento de volta à frente da boca, continuam comendo normalmente. O gag está muito ativo em bebês pequenos, e próximo aos 6 meses o reflexo é induzido no meio da língua. Na medida em que os bebês aprendem a dominar os alimentos na boca, e se habituam às texturas diferentes do leite, o reflexo vai diminuindo. Em adultos, o gag só é induzido no final da língua, perto da garganta.

Os engasgos oficialmente acontecem quando a passagem de ar pela garganta está bloqueada por algum sólido ou líquido. O primeiro reflexo do engasgo é a tosse, que normalmente funciona bem para desobstruir a passagem de ar. Se a obstrução da garganta for tanta que o bebê não consegue tossir, então sim ele vai precisar de ajuda para deslocar o pedaço de comida da garganta, e nestes casos são usadas técnicas de primeiros socorros.

Para evitar engasgos as medidas mais efetivas são:

  • Enquanto está comendo, o bebê precisa estar em posição ereta, sem estar recostado ou caindo para os lados
  • Se o bebê estiver sendo alimentado por alguém, observar as quantidades colocadas na boca do bebê
  • Adequar a consistência das papinhas; evitar que esteja muito liquida (batida, por exemplo). Líquidos são mais propícios a provocar engasgos do que sólidos, por isso o recomendado é sempre apenas amassar com um garfo

Meu filho chora muito e fica irritado quando vai comer

Neste ponto é importante lembrar que a fase de introdução alimentar serve para o bebê conhecer os alimentos e aprender a se alimentar. Até os 12 meses, o leite que o bebê toma continua sendo o principal alimento, e eles demoram para entender que comida também serve para matar a fome. Então, considere oferecer a refeição para o bebê em momentos que ele não esteja morrendo de fome. Muitas vezes, é mais proveitoso dar de mamar antes da hora da refeição que será oferecida, pois isto previne que o bebê fique impaciente e irritado. O mesmo serve para quando o bebê estiver muito cansado. A hora da refeição é um momento de descoberta para os bebês, e se eles não estiverem dispostos, não será muito bem aproveitada.

Resultado de imagem para bebê comendo

 

Envolver o bebê e dar autonomia na hora da sua refeição também pode ser interessante. Muitas vezes eles se incomodam pois têm curiosidade de colocar a mão e explorar aquilo que estão lhe oferecendo. Como adulto, imagine que alguém que vai te alimentar e aparece com uma tigela e te dá o conteúdo na boca, sem deixar que você veja o que tem dentro. O bebê também tem curiosidade de ver o que tem no prato, e tem curiosidade de conhecer o que está sendo oferecido. A forma dos bebês conhecerem o mundo é com as mãos. Então deixá-los colocar as mãos nos alimentos, deixá-los pegar na colher, é permitir que eles participem do processo da alimentação e é dar a autonomia que muitos deles tanto gostam.

Meu filho come pouco

Quando um bebê está sendo amamentado, ele regula sozinho o quanto deve mamar para saciar a fome que sente. Assim que se sente saciado, pára de mamar. Quando começamos a introdução alimentar, nós adultos nos sentimos ansiosos para ver o bebê comer o prato inteiro de comida que preparamos. No entanto, o bebê continua regulando muito bem sua fome e saciedade; e da mesma forma, assim que sentir-se saciado, vai parar de comer. Então é importante lembrar que o leite continua sendo o principal alimento do bebê até os 12 meses, que o bebê não tem ainda maturidade para fazer greve de fome, e que ele come/mama o suficiente para se sentir satisfeito. Confie no seu bebê, ele sabe muito bem o quanto precisa comer.

carlos gonzales

Espero ter ajudado um pouquinho com as tantas dúvidas que chegaram até mim. Não se esqueçam nunca que a introdução alimentar é uma grande oportunidade de ensinar não só a alimentação saudável, mas também o prazer em comer bem, e a boa relação com os alimentos. Sempre busque orientação de um profissional atualizado que possa acompanhar individualmente nesta fase.

Assinatura Thais C. LaraNutricionista

 

Dúvida? Opinião? Sugestão? Deixe um comentário!

SEGUIR@ @nutrirbem.thais