Gestantes

Posso comer durante a gravidez?

Mal a mulher descobre a gravidez, já se enche de dúvidas sobre o que pode ou não comer. E de fato, esta é uma das primeiras perguntas que eu escuto no consultório na primeira consulta de pré natal nutricional:

Posso comer durante a gravidez?

Há tanta informação (e palpites) que as gestantes ficam confusas no que é ou não é recomendado consumir ao longo do curso da gestação.

é melhor evitar:

A verdade é que existem recomendações e consensos gerais sobre o que gestantes não devem consumir (como carnes cruas ou malpassadas – inclusive peixes, por exemplo, ou gema de ovo mole), mas há outras que devem ser decididas individualmente.

É necessário também fazer certas adequações para que nenhum nutriente fique faltando na dieta.  Por exemplo, não é aconselhável que as gestantes consumam vegetais crus e frutas com casca fora de casa, mas isso não significa que elas possam abolir esses alimentos de sua rotina, pois durante a gravidez a necessidade nutricional de vitaminas e minerais é aumentada.

Outro ponto: na maioria dos casos o uso de adoçantes é contraindicado, mas isto não significa sinal verde para o açúcar. E muito menos aos produtos light/diet, que contêm adoçantes e infinitos aditivos alimentares em sua composição.

gravida não pode
Imagem da internet

Há também que se ter cuidado e atenção com a higiene e manipulação de alimentos em locais de alimentação e principalmente com produtos que não tenham passado por processos de pasteurização (como leites crus e alguns tipos de queijo, pois podem trazer contaminação, e só a pasteurização garante o extermínio das bactérias).

Outro ponto importante de atenção é com chás e ervas, já que a maior parte deles não têm segurança científica para uso durante a gestação. Mas o que se diz respeito a bebidas alcoólicas e tabagismo, o consenso é forte. Mesmo doses bem pequenas para a mãe, podem significar teores de álcool/tabaco muito altos para o metabolismo de um bebê em formação. Aditivos alimentares, especialmente glutamato monossódico (presente em temperos industrializados) e gorduras trans (dos alimentos industrializados, fast foods e sorvetes de massa), também devem ser evitados.

moderação:

Por outro lado, há alimentos também merecem atenção, mas podem ser consumidos, com parcimônia. Por exemplo o café pode estar na rotina da gestante em doses controladas, para não interferir de forma negativa no crescimento do bebê. Importantíssimo também lembrar dos contaminantes ambientais, como o Bisfenol A (ou BPA) – usado na fabricação de plásticos. A recomendação é evitar recipientes plásticos para armazenamento de comidas ou bebidas, e dar preferência a recipientes de vidro, cerâmica ou porcelana. Além dele, entre os xenobióticos a serem evitados, entram também poluição, agrotóxicos, panelas de alumínio ou teflon e ondas magnéticas. Para tanto, sugere-se evitar ficar em locais excessivamente poluídos por períodos longos; consumir o que for possível de produtos orgânicos; dar preferência a panelas de cerâmica ou inox; e evitar, por exemplo, deixar o celular e outros equipamentos eletrônicos muito próximos ao corpo quando não estão em uso.

grávida meditando
Imagem da internet

Ah, e o estresse! Outro ponto importante a ser evitado pela gestante. O que costumo recomendar para minhas pacientes, é que elas escolham com muita sabedoria quais estresses vão passar durante a gestação 🙂