Bebês

A polêmica dos sucos para bebês

Até pouco tempo atrás, o marco de início da introdução alimentar, era a inserção dos sucos para bebês de 4 ou 6 meses, (sucos normalmente de laranja lima), no intervalo da manhã. Era essa a orientação geral, pois os sucos são boas fontes de vitamina e podem complementar a hidratação do bebê. Além disso, a introdução do suco costumava ser vista como uma boa maneira de incluir outro líquido além do leite na rotina alimentar do bebê.

suco bebe
Imagem da internet

No entanto, em junho de 2017, a Academia Americana de Pediatria (AAP) fez uma publicação mudando suas diretrizes, e agora orienta que sucos não devem ser oferecidos antes dos 12 meses do bebê. Isso porque os sucos – mesmo quando naturais, e sem açúcares adicionados – concentram doses de frutose (açúcares naturais da fruta) e poucas fibras. A ausência de fibras faz com que a frutose seja absorvida muito rapidamente, o que pode atrapalhar o metabolismo do bebê e, a longo prazo, deixá-lo mais suscetível ao ganho de peso excessivo e diabetes. Além disso, a falta de fibras retarda a sensação de saciedade, e pode induzir o bebê a tomar volumes de suco acima do que ele realmente precisa e isso colabora também para o ganho desnecessário de peso.

Outro ponto é que um copo de suco geralmente concentra mais do que uma porção de fruta: um copo de suco de maçã é feito com 3 a 4 maçãs, por exemplo. Ou seja, o bebê consome muitas frutas de uma única vez, quando na verdade ele não precisa de tudo isso.

E não é só isso. Quando os bebês estão com a barriguinha cheia de suco eles, muitas vezes, mamam menos leite do que o habitual. Esta troca definitivamente não é interessante para a nutrição geral do bebê, pois o leite materno (ou fórmula) deve continuar a ser o principal alimento dos bebês durante o primeiro ano de vida.

São pontos relevantes, principalmente considerando que os últimos estudos mostram que metade do consumo de frutas das crianças de 2 a 18 anos é proveniente de sucos e que, portanto, essas crianças estão carentes no fornecimento de fibras.

Considerando tudo isso, a recomendação da Academia Americana de Pediatria e da Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) é de oferecer sucos apenas a crianças maiores de um ano. Ainda assim, a Academia sugere manter as recomendações de 2 a 3 porções de frutas por dia, e se for oferecer na forma de suco, considerar os volumes diários máximos:

Meu posicionamento:

Na minha prática clínica, falo muito para os pais o quanto a introdução alimentar é um momento de apresentar ao bebê todos os alimentos para que ele possa construir seu hábito alimentar, preferências de paladar, e principalmente, conhecer a diversidade de sabores, texturas e preparações. Não acho que os sucos naturais são a pior coisa do mundo, mas ainda concordo com o posicionamento da SBP e AAP, e acredito que o momento de introduzir os sucos para os bebês é depois dos 12 meses.

Além disso, gosto de lembrar que os sucos não são a única forma de consumir frutas, são apenas mais uma textura possível delas, que podem ser também raspadas, amassadas, cozidas, picadas, assadas, congeladas. E que a introdução alimentar também é o momento de criar o hábito de tomar água!

Então, de forma geral, se for introduzir sucos para seu bebê, é importante:

  • não oferecer só sucos, e oferecer as frutas em outros formatos;
  • cuidar do volume de consumo diário dos sucos – válido para crianças de qualquer idade!

E é claro que tudo isso não deve abolir os sucos da rotina! Sendo sucos naturais, bem posicionados, dentro de uma rotina alimentar saudável, em volume controlado, um suco geladinho não faz mal à ninguém!

Assinatura Thais C. LaraNutricionista